Retalhos Patchwork - Joana de Matos | O que é o Patchwork?
Projeto dedicado ao Pacthwork
15750
post-template-default,single,single-post,postid-15750,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,side_menu_slide_from_right,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

O que é o Patchwork?

Patchwork é “trabalho com retalho”. É uma técnica artesanal que une tecidos com uma infinidade de formatos variados. O patchwork convencional é normalmente conhecido pelos trabalhos em que o trabalho completo é com acolchoado, mais manta acrílica, tudo costurado por uma técnica mais conhecida por quilting ou acolchoamento.

O patchwork é mais conhecido pela sua diversidade e complexidade de se manifestar por projectos mais complexos ou mais simples, consoante o gosto da pessoa. Uma vez que é um trabalho de aproveitamento de tecidos e união de retalhos, é necessário projectar bem um trabalho em patchwork, para que tudo corra bem durante o trabalho. Pode ainda ser executado manualmente ou à máquina, em qualquer máquina de costura convencional.

Um projecto de Patchwork vive em grande parte da matemática e das características das figuras geométricas. Ajuda bastante, saber como se processa por exemplo uma “regra de três simples”, redução e aumento de escalas e ângulos. Muitas das formas geométricas que se utilizam nos blocos de patchwork, já eram encontrados na arquitectura antiga, nas decorações corporais indígenas e nos têxteis africanos e asiáticos. Podemos fazer divisões tirando partido de rectângulos, triângulos, círculos e/ou quadrados, formando assim infinitos novos desenhos.

Além dos blocos de base quadrada, no patchwork, trabalhamos com formas que se encaixam e formam outros desenhos como os hexágonos ou lusangos (ou diamantes).

Existe ainda uma variante do patchwork, distinta do patchwork convencional, que é o patchwork embutido.
O patchwork embutido à semelhança do convencional, é também a decoração pela união de retalhos (ou tecidos), neste caso sem agulha. A técnica é embutir o tecido numa base de trabalho, que é o esferovite (isopor). O esferovite pode ter formas tridimensionais ou planas (ver exemplo de passo-a-passo).

Alguns trabalhos em patchwork convencional:

Até breve e bons trabalhos,
joana de matos