Mantinha-bebe-patchwork
Artigos,  Truques & Dicas

O que é a Técnica de Patchwork?

A Técnica de Patchwork é uma técnica de Costura

Mantinha-bebe-patchwork
Conjunto de mantinha e caixa para bébé em Patchwork

A Técnica de patchwork é “trabalho com retalho”. É uma técnica artesanal que une tecidos com uma infinidade de formatos variados. A técnica de patchwork convencional é mais conehcida pelos trabalhos com acolchoado e manta acrílica. Como resultado deste processo, tudo costurado, é uma técnica mais conhecida por quilting ou acolchoamento.

A técnica de patchwork é muito conhecida pela sua diversidade de trabalhos e de se manifestar por projetos mais complexos ou mais simples, consoante o gosto de cada pessoa. Uma vez que é um trabalho de aproveitamento de tecidos e de união de retalhos. Pode ser produzido manualmente ou à máquina. Saliento, que existe ainda o técnica de patchwork convencional e o embutido:

Convencional, feito com agulha manualmente ou à máquina – Exemplos AQUI.

Embutido, à semelhança do convencional, é também a decoração pela união de retalhos (ou tecidos), neste caso sem agulha. A técnica é embutir o tecido numa base de trabalho, que é o esferovite (isopor). O esferovite pode ter formas tridimensionais ou planas – Exemplos AQUI.

Um projeto de Patchwork

É necessário projetar bem um trabalho em técnica de patchwork, para que tudo corra bem durante o processo. Um projecto em técnica de patchwork vive em grande parte da matemática e das características das figuras geométricas. Ajuda bastante, saber como se processa por exemplo uma “regra de três simples”, redução e aumento de escalas e ângulos. Muitas das formas geométricas que se utilizam nos blocos de patchwork, já eram encontrados na arquitectura antiga, nas decorações corporais indígenas e nos têxteis africanos e asiáticos. Podemos fazer divisões tirando partido de retângulos, triângulos, círculos e/ou quadrados, formando assim infinitos novos desenhos.

10 nomes de blocos em Técnica de Patchwork

– Catavento
– Pratos Quebrados
– Molinete
– Catavento Quebrado
– Ampulheta
– Estrela Simples
– Mosaico
– Esquerda e Direita
– Estrela de Natal
– Estrela Brilhante

Estes, são só alguns exemplos base da técnica de patchwork. Todos são trabalhados com formas que se encaixam e formam outros desenhos como os hexágonos ou losangos (ou diamantes).

Faz bem à mente

Mantermo-nos ocupados é essencial para exercitar a mente. Como qualquer outra atividade mais física e agitada, trabalhar a mente na escolha das melhores combinações de tecidos e de aproveitamento, fazem com que a mente se mantenha ativo. Não deixa de ser um exercício bom para o cérebro. Para além da componente económica, é também uma terapia. Trabalhar esta técnica, é quase viciante.

A tudo isto acresce a faculdade de podermos fazer cálculos matemáticos de maneira a combinar as formas geométricas e analisar se os retalhos que pretendemos dão para cada forma composição pretendida. Todos estes fatores fazem com que o cérebro se mantenha em pleno exercício. Pessoalmente, enquanto os tecidos tomam o lugar de outros pensamentos, tudo o resto é secundário e apodera-se de mim uma vontade incessante de combinar e combinar cada vez mais retalhos.

Curiosidade

Patʃˈwɐrk – nome masculino
1. trabalho de costura que consta de pequenos retalhos de tecido de vários tamanhos, feitios e cores, cosidos ou unidos uns aos outros
2. qualquer trabalho formado de pequenos pedaços ou fragmentos
Fonte: https://www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa/patchwork

Bons exercícios e boa terapia!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *